A História do meu Carro

Chevrolet Bel Air 58 V8 4 portas com coluna

Sempre gostei de carros antigos, acho que é por causa de uma foto que tinhamos onde a minha irmã, com 2 anos de idade, estava sentada no capô de um Plymount 51 que meu pai tinha, nessa epoca eu ainda não tinha nascido.

Comecei a trabalhar com 14 anos e a partir dai fui juntando o que sobrava do meu pequeno salário, meu objetivo era comprar um Dodge Charge R/T amarelo que ficava estacionado ou abandonado ao lado do prédio da FAFI na avenida Presidente Antônio Carlos (BH). Todos os dias eu passava de ônibus no local e conferia se o Dodge estava lá. O tempo foi passando e um dia o Dodge sumiu e algum tempo depois acabei comprando um Chevette velho, porque com o que eu ganhava cheguei a conclusão que não daria para sustentar um V8.

Eu tinha o habito de ler sempre nos classificados do Jonal Estado de Minas a parte de carros antigos e ate ligava para saber mais detalhes, mesmo sem ter dinheiro. Um dia lendo por acaso a parte de carros batidos, vi um anuncio de um Bel Air 58 e liguei, o rapaz falou que o carro tinha mecânica de opala e rodas cromadas de caminhonete e o preço eu achei que era barato, era Cr$ 12.000,00 seria hoje uns R$4.000,00, eu não conhecia o Bel Air 58, então peguei uma revista que tinha um Bel Air 57, mas não agradei do modelo, liguei novamente perguntando se o carro era parecido com o da revista, como a resposta foi negativa, resolvi ver o carro, no dia achei o carro bonitinho ( Hoje eu o acho simplesmente The Best ) e parecia bom o problema era que eu tinha apenas Cr$6.000,00 que havia recebido do acerto com a empresa que eu trabalhava. Então falei com o dono do carro qual era o mínimo que ele poderia fazer pelo carro (ele não sabia que o anuncio havia saído por engano na seção de batidos, por isso somente eu tinha visto o anuncio) como o dono estava desesperado para vender o carro, ele abaixou o preço para Cr$8.000,00 então peguei as fotos do carro e fui ate minha casa afim de conseguir com minha mãe o dinheiro que faltava.

Tentei convencer minha mãe de todas as formas, mas a resposta final foi que se eu quisesse jogar meu dinheiro fora que eu fizesse sozinho e que não deveria contar com ela para mais nada. Mesmo assim eu voltei e dei um cheque e peguei o carro, ele estava sem freios, as rodas estavam empenadas, e a caixa de marcha travada na 2 e a gasolina era colocado numa mamadeira. Cheguei em casa sentei no meio fio e fiquei olhando para o carro pensando no que minha mãe havia falado.

Um amigo me emprestou o dinheiro para cobrir o cheque, e ai começaram os problemas onde guardar o carro, após ser despejado umas 5 vezes somente solucionei este problema 8 anos depois, quando construi minha casa. A

situação do carro era a seguinte: a pintura estava bastante queimada, os cilindros de rodas estavam vazando óleo de freio, os pneus carecas, embreagem patinando e o pior era a suspensão, pois a fixação dos leques eram no próprio chassi e este estava todo trincado e com soldas muito mau feitas. Consertei muita coisa mas o carro estava condenado pelo péssimo estado do chassi e não havia nenhum tipo de recurso a não ser trocar o chassi.

Cheguei a anunciar em uma revista "Compro chassi de Bel Air 58" e ai recebi uma ligação do Rio Grande do Sul por sorte não estava em casa e minha mãe anotou o recado. Não liguei de volta para a pessoa pois mesmo que ele me desse o chassi não teria como traze-lo para BH. Algum tempo depois uma pessoa disse que um colecionador havia desmanchado dois carro para fazer um, e talvaz ele tivesse o chassi.

Liguei para o colecionador e ele me atendeu prontamente e disse que poderia ver se o chassi me serviria. Quando cheguei no endereço vi um dos carros mais bonitos que ja vi ate hoje, era um Bel Air Impala Conversível 1958, o carro estava igual a quando saiu de fabrica e era maravilhoso. Fiquei até desanimado com meu carro, pois nunca ficaria igual aquele que tinha visto.

Como cada um tem o que pode, liguei para o colecionador e disse que alem do chassis tinha interesse por alguns detalhes que ele possuía, foi ai que para minha surpresa ele disse que poderia pegar o chassis e as outras peças e que não me cobraria nada por elas, fica registrado aqui meu agradecimento, pois foi de uma ajuda incalculável.

Com o chassi na mão, pintei-o de laranja, para que todos vissem que era outro chassis, tirei 20 dias de ferias e comecei a desmanchar o carro, quando não dava conta sozinho chamava meu pai para ajudar , principalmente na hora de montar. Fim das ferias o carro estava com o chassis no lugar, mas não chegou a rodar, alguns meses depois minha irmã ia se casar e eu tinha que leva-la no carro, então tirei os 10 dias de ferias que faltavam e partimos eu e meu primo para a pintura do carro, no dia do casamento ainda estávamos polindo a pintura, ficou lindão, dei uma voltinha no carro e estava tudo pronto para o grande dia.

Sai em direção a igreja com minha irmã dentro do carro, quando na metade do caminho o pneu furou, falei com ela que não se preocupasse pois eu tinha um mini macaco jacaré (marca Eureca) e que não demoraria nada. Coloquei o macaco e na 3 bombada o macaco parou de subir (da para acreditar) meu pai estava vindo com o Monza atrás mas o macaco não servia, minha mãe falou com minha irmã para passar para o Monza e seguir para a igreja, mas ela respondeu que somente iria para a igreja no Bel Air, pois após o trabalho que o carro tinha dado para ficar pronto, ela não iria em outro carro. (isso que é irmã) sai com o Monza para uma borracharia 24horas peguei o macaco emprestado troquei o pneu e cheguei na igreja com dez minutos de atraso, o único problema foi que eu era padrinho e não deu tempo nem de lavar a mão.

Após algum tempo retifiquei o motor e finamente viajei com o carro cerca de 120 km o que ate então era um façanha para o meu Bel Air, depois fui pegando confiança e a cidades mais distantes ele me levou sem nenhum problema.

Apesar do motor ser de Opala o carro andava muito bem, o único inconveniente era quando as pessoas viam o V no capô dianteiro e me pediam para ver o V8 que estava la debaixo, ai eu tinha que mudar de assunto.

Após 8 anos consegui comprar o tal V8 para justificar o V do capô, o motor foi aberto conferido, perfumado, envenenado e finalmente instalado

O resultado foi fantástico.

Esta é a historia do meu Bel Air ao longo dos 9 anos que possuo,

Então você pergunta:

Seu carro esta pronto?

Não, um Hot Rod nunca esta pronto, falta ainda a lanternagem, pintura, capotaria, mecânica, recuperar os frisos, colocar freios ABS, Air Bag (porque não) alem do mais eu ainda tenho pelo menos uns 50 anos para terminar o carro, então para que pressa.

Quanto voce já gastou?

Não sei, nunca faço as contas, porque se fizer eu desisto de mexer no carro. E aqui vai um conselho nunca faça contas de quanto ja gastou.

Quanto vale seu carro?

Para mim vale mais do que qualquer outro carro que você já viu, para minha mãe não vale nada, para outros e apenas um carro velho

É se voce fosse vender?

Na realidade eu considero que esse carro financeiramente não existe , então como você pode vender uma coisa que não existe

Voltar ...

 

Pagina em construção, aguardem novidades

Entre em Contato com a gente chevy58@zipmail.com.br

Pagina Principal  

Fotos Eventos Hot News Artigos Classificados Links Opinião